Sexta-feira, 2 de Novembro de 2012

Surto de peste suína africana assola província de Maputo

Perto de uma centena de porcos foram abatidos nos últimos dias devido ao surto de peste suína africana detectada semana finda na cidade e província do Maputo.

Estes dados foram revelados pelas autoridades dos Serviços Provinciais de Pecuária em Maputo, que dão ainda, conta do isolamento de perto de meia centena de suínos, identificados com sintomas da peste.

Surto de peste suína africana em Maputo
Apesar do alerta lançado pelas autoridades pecuárias, vendedores e consumidores da carne de porco, uma das mais consumidas na capital moçambicana, continuam pouco preocupadas com a situação.

A explicação é de que os cuidados estão salvaguardados porque grande parte da carne no mercado é importada da vizinha África do Sul e Suazilândia, países livres da peste.

O distrito de Marracuene e algumas regiões da Matola são actualmente os epicentros da peste.
As autoridades recordam que a peste suína africana é um vírus altamente letal para os porcos e apela ao reforço das medidas de biossegurança nas pocilgas, como forma de evitar a propagação da doença.
publicado por Jornal NMz Moçambique às 10:22
link do post | comentar | favorito

Alunos portadores de deficiência vão ter exame especial

Mais de 326 alunos portadores de deficiência vão realizar exames especiais, pelo facto de não estarem habilitados a realizar a mesma prova com os alunos não portadores de deficiência.

De acordo com o director do Conselho Nacional de Exames e Certificação, Jafet Mabote, os alunos com deficiência visual precisam (logicamente) de um exame traduzido em braile para permitir que possam conseguir ler e responder a tempo. O que acontecia é que os portadores de deficiência faziam exames concebidos para estudantes não portadores de deficiência e tinham que entrar para a sala com um acompanhante para os auxiliar.

Para os examinandos com problemas de deficiência visual, a fonte garantiu que já foi preparado exame especial que não precisará de acompanhante, como acontecia. “ Temos examinandos com deficiência visual que precisam de exame especial, nós já fizemos e preparamos esse exame traduzido”, disse a fonte.
Mabote disse ainda que para os alunos com deficiência auditiva, foi elaborado um exame que vai permitir que os mesmos consigam realizar a prova dentro do tempo.“Segundo especialistas, esses alunos não são menos inteligentes.Nós fizemos uma prova um pouco compacta para permitir que eles realizem a prova dentro do tempo”, acrescentou.

Disse ainda, que, para casos de deficientes auditivos que tiveram aulas normais, estes não estarão em turmas especiais. Nesse sentido, esses examinandos terão exame igual ao dos alunos normais, mas com 30 minutos a mais para resolução. “Estarão em turmas inclusivas”.
publicado por Jornal NMz Moçambique às 09:43
link do post | comentar | favorito

Slim Nigga disse que nunca perseguiu a fama, os medias é que o lançaram"

Slim Nigga é um dos rappers moçambicanos do momento, o seu hit mais recente, "País do Pandza", faz críticas pesadas à sociedade e aos músicos do estilo Pandza. Curiosamente, esta música lidera os tops das rádios. Slim, como é conhecido, conversou com o SAPO e revelou alguns dos seus segredos.

"Há 10 anos que faço rap, comecei no bairro e gradualmente fui conquistando os palcos, hoje, tenho os meus conceitos de música e na altura de compor penso em algo que mexe comigo. Retrato coisas que vivo, faço ou sinto", afirma Slim.

"País do Pandza", lançada há menos de um mês, é uma crítica à cultura de ostentação tão recorrente na classe musical moçambicana de onde o artista faz parte.

A música apresenta convicções pessoais do rapper, bem como, o estágio da classe artística, do mercado musical e do estilo de vida dos moçambicanos em geral, fazendo uma crítica àquilo que designa por "show off", facto este, bem visível no seu video clip.

"De um modo geral, muitos artistas vivem de aparências, ostentam o que não têm, vestem e calçam artigos emprestados só para aparecer. Estes artistas a que me refiro na música são da era Pandza e cometem todos aqueles erros que citei na música", explica o artista.

Slim Nigga foi ainda mais longe nas suas críticas e falou dos artistas que comemoram prémios que, segundo ele, "nem sequer tecto têm, ou pior, pagam aos meios de comunicação para os seus video clips passarem nos programas de entretenimento".

"No início de carreira, muitos músicos pagam para apresentarem os seus trabalhos, è injusto, mas é o que acontece infelizmente no nosso país. Muitos "miúdos" talentosos passam por isso, eu não paguei a ninguém, nunca persegui a fama, os media é que me descobriram e me lançaram", lamentou.

O estudante do terceiro ano de Direito está actualmente a trabalhar num novo trabalho e confessa que mesmo criticando o Pandza, é com artistas deste género musical que vai entrar no estúdio em breve.

"Vou entrar em estúdio com Mr Kuca onde vamos produzir muitos hits para o público". 50 kilos é o nome da label dirigida por Slim Nigga na qualidade de único cantor da mesma e admite que "existe um «nigga» que eu gostaria que fizesse parte da minha team, que é o Hernani da Silva, o miúdo é bom. Mas, por outro lado não queria que "Scoob Doo fizesse parte da minha label", revelou o rapper.

O rapper ganhou projecção nacional depois de ter lançado, em 2010, a música "Meu Diário", no mesmo ano que escreveria a música "País do Pandza", onde fez graves revelações sobre o seu passado familiar, as mesmas serviram de impulso para continuar a usar a música como instrumento de crítica social.
Slim, adianta ainda que "já tive esta vertente ignorante de pensar que fazer Pandza fosse vender a alma, mas agora não", avançando que cresceu desta fase para cá e que está" capacitado [agora] para fazer um álbum inteiro de Pandza e outros estilos musicais".
publicado por Jornal NMz Moçambique às 09:04
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Município de Maputo classifica de "fantasia" rumores sobre início das novas tarifas de transporte

O Conselho Municipal de Maputo qualificou de "fantasia" rumores de que os novos preços de transporte público entrariam ontem em vigor e indicou para a próxima semana o anúncio formal da aplicação das novas tarifas de viagem.

Receios de protestos violentos como os de 2010 contra a aprovação na semana passada de novos preços de viagem nos transportes públicos em Maputo originaram na quarta-feira alertas sobre o risco de manifestações populares face à medida.

Contrariando as especulações de que as novas tarifas começariam a ser aplicadas ontem, os transportadores privados de passageiros, vulgo "chapas", mantêm o preço de 7,5 meticais (0,18 euros) por viagem e o transporte público do Estado continua a praticar a tarifa de cinco meticais (0,13 euros).
Em declarações à Lusa, o vereador dos Transportes do Município de Maputo, João Matlombe, considerou "fantasia" as informações que apontavam para o início ontem das novas tarifas, indicando para a próxima semana o anúncio formal da entrada em vigor dos novos preços.
"Não temos como evitar o medo que as pessoas têm de que possam ocorrer atos de vandalismo. Isso é o que querem as pessoas que criaram a fantasia de que os novos preços entrariam hoje em vigor", enfatizou João Matlombe.

Segundo João Matlombe, após a aprovação dos novos preços pela Assembleia Municipal de Maputo na quinta-feira da semana passada, a medida só podia entrar em vigor após cinco dias, de acordo com a lei.

"Podíamos anunciar formalmente a entrada em vigor das novas tarifas esta semana, mas o faremos de certeza na próxima semana. Se o Estado se deixasse levar pelo medo, então não funcionaria", afirmou o vereador dos Transportes de Maputo, tentando dissipar a impressão deque as autoridades estão com receio de aplicar as novas tarifas.
publicado por Jornal NMz Moçambique às 08:38
link do post | comentar | favorito

Aeronave sul-africana com duas pessoas a bordo desaparecida em Moçambique

Uma aeronave sul-africana com duas pessoas a bordo está desaparecida desde segunda-feira no centro de Moçambique, disse hoje à Lusa o diretor do Aeroporto Internacional de Tete, José Chicanhandza.

Segundo José Chicanhandza, o bimotor Beechcraft 58 perdeu contacto com a torre de controlo do Aeroporto Internacional de Tete quando sobrevoava a zona entre Catandica e Chimoio, na província de Manica.
"Vinha de Lilóngué, Malaui, e seguia para o Aeroporto de Lanseria, em Joanesburgo, na África do Sul. Estão na Beira quatro helicópteros da Força Aérea da África do Sul a fazer buscas para a localização do aparelho, mas ainda não há notícias", afirmou José Chicanhandza.
publicado por Jornal NMz Moçambique às 08:30
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 1 de Novembro de 2012

Governo estuda quantas portagens e onde fixar na circular de Maputo

São questões que até aqui não estão esclarecidas sobre a Estrada Circular de Maputo. O governo está a pensar em colocar várias portagens nos 70 quilómetros de extensão da via, para rentabilizar o pagamento da dívida de 315 milhões de dólares aos chineses pela construção da infra-estrutura.

Contudo, segundo o presidente do Município de Maputo, David Simango, o executivo ainda está a avaliar quantas portagens, onde colocar e o preço a praticar, para não pressionar o bolso do cidadão.“Esta é uma questão que ainda estamos a analisar. O certo é que haverá, sim, portagens. agora estamos a estudar quantas vamos colocar, onde colocar e que preços praticar, para que isso não seja um grande encargo para os munícipes”, afirmou.



Gestão da circular
O edil de Maputo diz, ainda, que o executivo já está a analisar como será a gestão deste empreendimento, depois da conclusão das obras, mas há grandes probabilidades da mesma ser privatizada. “Estamos a avaliar qual é a melhor forma de gestão, se será uma parceria pública, privada, público-privada ou privada-pública, e daí sairá a decisão final. Não podemos afirmar nada agora senão corremos o risco de colocar a caroça à frente dos burros”, disse David Simango, acrescentando que “estamos a trabalhar com a empresa pública Maputo-Sul e já há interesses da TRAC pela gestão da zona da Matola”.
publicado por Jornal NMz Moçambique às 12:52
link do post | comentar | favorito

Renamo continua a defender partidarização dos órgãos eleitorais

O plenário da Assembleia da República (AR) concedeu, ontem, um prazo de uma semana às chefias das três bancadas para sanarem as “poucas mas profundas divergências” em torno do projecto de revisão da legislação eleitoral.

A decisão foi tomada no decurso dos debates da informação da Comissão da Administração Pública, Poder Local e Comunicação Social da AR, a Quarta Comissão, sobre a matéria apresentada pelo respectivo presidente, Alfredo Gamito.

Segundo Gamito, a vontade da comissão é elaborar uma informação definitiva sobre o processo de revisão até à próxima quarta-feira.
Porém, a informação apresentada ontem, por Gamito, sublinhava que “a comissão considera concluído o trabalho de revisão e harmonização da legislação eleitoral, cabendo ao plenário decidir sobre procedimentos a tomar”.

Esta não é a primeira vez que a sessão plenária decide remeter as divergências às chefias das bancadas parlamentares, à procura de consensos.
Com efeito, as chefias das bancadas da Frelimo, Renamo e do Movimento Democrático de Moçambique (MDM) realizaram três rondas de negociações em Dezembro de 2011
publicado por Jornal NMz Moçambique às 12:28
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
13
18
20
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Vandalizada sede do MDM

. Professores de nível supe...

. Raios mataram oito pessoa...

. Saúde preocupada com elev...

. Enfermeiros reúnem-se par...

. Ministro exonera deputado...

. Caso sequestros: Ministro...

. Em plena consulta: Explos...

. Oposição critica “insensi...

. Jorge Khálau reconduzido ...

.arquivos

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

.tags

. todas as tags

.favorito

. CIDADE DE TETE, VENDA DE ...

. BREVE HISTORIAL DE NOTÍCI...

. MOVIMENTO NMOZ:: Juntos ...

blogs SAPO

.subscrever feeds