Quarta-feira, 25 de Julho de 2012

Para não cedê-las apontenciais criminosos: PRM pede prudência no arrendar de casas

A PRM pediu aos cidadãos, no geral, para exercerem um maior rigor e prudência no acto de arrendar casas a terceiros, bem como prestar uma atenção redobrada quando abordados, em algum momento, por indivíduos que se fazem transportar em viaturas, regra geral, com vidros fumados, porque, a dado momento, podem cair nas malhas de gente de conduta duvidosa que vai de um bandido comum até potenciais sequestradores.


O apelo para uma maior precaução no arrendamento surge da constatação que se evidenciou com estes casos, pois todos os locadores ouvidos pela Polícia disseram que não sabiam de nada. A medida visa evitar que os donos das casas acabem se vendo envolvidos em situações embaraçosas de ter que responder em juízo por suspeita de participação na prática de crimes, como o que pode vir a acontecer agora com o resultado das investigações em curso.
Nas recentes averiguações relacionadas com os sequestros a Polícia constatou que de três das quatro casas visitadas esta semana pela Imprensa usadas como cativeiro dos sequestrados os proprietários declinaram qualquer responsabilidade ou conivência com os crimes nelas praticados, distanciando-se de tudo e de todos.
Embora as investigações até aqui realizadas não tivessem encontrado evidências suficientes de qualquer envolvimento ou responsabilidade dos proprietários das residências, doravante a Polícia aconselha a uma maior atenção na prática deste tipo de negócios.
Por exemplo, na quinta de Tchonissa, no distrito de Boane, local onde parte das vítimas foi levada, a proprietária negou perante as autoridades qualquer envolvimento com os criminosos. A mesma justificação foi dada pelo inquilino da moradia de Malhampswene, que inclusivamente justificou perante as forças da lei e ordem que nunca foi sua intenção arrendar a casa, mas que acabou o fazendo por pressão que sofria dos sequestradores, a troco de 25 mil meticais mensais.

“Para estes casos até aqui não existe qualquer ligação entre os sequestradores e os proprietários. Mas para casos futuros as pessoas devem obedecer a uma série de exigências para chegar à conclusão de que, efectivamente, os que vão arrendar a casa não são pessoas de má conduta ou não estão envolvidas em redes criminosas. Também devem supervisionar as actividades que eles realizam e não se limitar só a receber dinheiro. Se esses cuidados não forem tomados os proprietários correrão o risco de se ver envolvidos em casos criminais difíceis de resolver” – apontou a nossa fonte.
publicado por Jornal NMz Moçambique às 13:06
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
13
18
20
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Vandalizada sede do MDM

. Professores de nível supe...

. Raios mataram oito pessoa...

. Saúde preocupada com elev...

. Enfermeiros reúnem-se par...

. Ministro exonera deputado...

. Caso sequestros: Ministro...

. Em plena consulta: Explos...

. Oposição critica “insensi...

. Jorge Khálau reconduzido ...

.arquivos

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

.tags

. todas as tags

.favorito

. CIDADE DE TETE, VENDA DE ...

. BREVE HISTORIAL DE NOTÍCI...

. MOVIMENTO NMOZ:: Juntos ...

blogs SAPO

.subscrever feeds