Quarta-feira, 6 de Junho de 2012

INFLAÇÃO BAIXA PELO SEGUNDO MÊS CONSECUTIVO EM MOÇAMBIQUE

Moçambique registou no mês de Maio último, uma inflação negativa de 0,53 por cento, mantendo a tendência de queda, pelo segundo mês consecutivo, do nível geral de preços.
Em Abril último, o país registou uma inflação mensal negativa de 0,24 por cento.
De acordo com o Instituto Nacional de Estatísticas a divisão de alimentação e bebidas alcoólicas foi a principal responsável por esta tendência ao contribuir, no total da inflação mensal, com cerca de 0,48 pontos percentuais negativos.
O técnico do INE, Ruben Come, explicou hoje a jornalistas, em Maputo, que uma análise por produtos permite concluir que a queda no nível geral de preços teve a ver essencialmente com a queda dos preços do peixe fresco, congelado ou refrigerado, o tomate, carvão vegetal e da farinha de milho, que contribuíram, no total da inflação, com 0,51 pontos percentuais negativos.
“Só o peixe fresco, congelado e refrigerado, e o tomate contribuíram com cerca de 0,42 pontos percentuais negativos” sublinhou.
Em termos acumulados, ou seja de Janeiro a Maio, o nível geral de preços registou uma queda na ordem de 0,17 por cento negativos.
Segundo Come, contribuíram para esta tendência de queda de preços de Janeiro a Maio passados a redução dos preços do tomate, de motorizadas, do peixe fresco congelado ou refrigerado, de capulanas e do óleo alimentar.
A comparticipação destes produtos no total da inflação acumulada foi de aproximadamente 0,76 pontos percentuais negativos, segundo salientou o técnico.
Entretanto, os preços de Maio de 2012, quando comparados com os de igual período de 2011, apontam para um aumento de nível geral de preços de 2,28 por cento.
A divisão de educação lidera esta tendência com um aumento de preços, em termos homólogos, de cerca de 4,78 por cento.
Comé explicou que a tendência de queda da inflação no país pode dever-se ao facto de haver grande abundância de produtos frescos nesta altura do ano.
O interlocutor frisou que os produtos frescos têm maior peso na estrutura de consumo da população e, por consequência, no ponderador para o cálculo do Índice de Preços ao Consumidor.
De salientar que grande parte dos produtos frescos que o país consome é importada sobretudo da vizinha África do Sul, cuja moeda tende a desvalorizar-se em relação a moeda moçambicana, o metical.
A moeda nacional está a valorizar-se mesmo em relação ao dólar norte-americano, a principal moeda utilizada nas transacções comerciais mundiais.
publicado por Jornal NMz Moçambique às 13:40
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
13
18
20
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Vandalizada sede do MDM

. Professores de nível supe...

. Raios mataram oito pessoa...

. Saúde preocupada com elev...

. Enfermeiros reúnem-se par...

. Ministro exonera deputado...

. Caso sequestros: Ministro...

. Em plena consulta: Explos...

. Oposição critica “insensi...

. Jorge Khálau reconduzido ...

.arquivos

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

.tags

. todas as tags

.favorito

. CIDADE DE TETE, VENDA DE ...

. BREVE HISTORIAL DE NOTÍCI...

. MOVIMENTO NMOZ:: Juntos ...

blogs SAPO

.subscrever feeds