Sexta-feira, 20 de Abril de 2012

Sudão quer Guebuza a mediar conflito

O governo do Sudão pediu ao Presidente moçambicano, Armando Guebuza, para se envolver quer directamente quer juntamente com a União Africana (UA) na identificação de uma solução capaz de evitar o reacender de um conflito armado com o Sudão do Sul.
O Ministro sudanês dos Negócios Estrangeiros, Ali Kirti, que deu a informação ontem no final da audiência concedida pelo estadista moçambicano, Armando Guebuza, em Maputo, afirmou que o executivo de Cartum acredita no papel que o país pode desempenhar na busca duma solução capaz de travar o eminente reatamento da guerra entre os dois países.
Durante a audiência, Kirti entregou ao Chefe de Estado uma mensagem endereçada pelo homólogo sudanês, Omar al Bashir.
O Chefe da diplomacia sudanesa disse que os óptimos laços bilaterais que Moçambique sempre manteve com o seu país podem contribuir para evitar a escalada de um conflito.
“Estou aqui para explicar ao presidente Guebuza o que está a acontecer no Sudão e também pedir o seu envolvimento directo no assunto juntamente com a União Africana ou com o presidente Salva Kiir, do Sudão do Sul, uma vez os dois países há muito têm óptimos laços”, disse o ministro.
Kirti, que imputa todas as culpas ao Sudão do Sul, disse que apesar de todos os passos dados para pôr termo ao sangrento conflito armado, que durou mais de 20 anos, e teve como grande saldo o nascimento do 54/o estado da UA, Juba continua a perigar o esforço feito nesse sentido.
O Sudão do Sul, segundo o ministro, continua a acolher e apoiar os movimentos rebeldes na província de Darfour, do Nilo Azul e Kodofan, contrariando a essência do Acordo Compreensivo de Paz, assinado em Naivasha, no Quénia.
Os mais recentes desenvolvimentos tornaram impossível que os dois países chegassem a um acordo em relação a questão da demarcação da fronteira, da cidadania, a partilha das receitas provenientes da exploração do petróleo e o espectro de guerra é cada vez mais eminente.
Kirti disse, no entanto, que as conversações entre ambos continuam através da mediação da União Africana (UA), liderada pelo ex-presidente sul-africano, Thabo Mbeki, e apesar de tudo isso Ali Kirti afirma que o seu país sempre foi paciente e perseverante por acreditar que a paz seria a melhor opção para os dois estados.
publicado por Jornal NMz Moçambique às 08:37
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
13
18
20
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Vandalizada sede do MDM

. Professores de nível supe...

. Raios mataram oito pessoa...

. Saúde preocupada com elev...

. Enfermeiros reúnem-se par...

. Ministro exonera deputado...

. Caso sequestros: Ministro...

. Em plena consulta: Explos...

. Oposição critica “insensi...

. Jorge Khálau reconduzido ...

.arquivos

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

.tags

. todas as tags

.favorito

. CIDADE DE TETE, VENDA DE ...

. BREVE HISTORIAL DE NOTÍCI...

. MOVIMENTO NMOZ:: Juntos ...

blogs SAPO

.subscrever feeds